Gateiros

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

2

Raça Bixanos - S

Sagrado da Birmânia
Crescendo em popularidade

Nacionalidade: França
Porte: Médio/Grande
Temperamento: Independente
Tipo de Pêlo: Semilongo
Nível de Energia: Médio





Ao que tudo indica, o Sagrado da Birmânia descende dos gatos que eram venerados como deuses nos templos budistas da Birmânia (atual Mianmá), na Ásia, no século XV. Os sacerdotes acreditavam que os fiéis retornavam à Terra na forma de gatos.

Há várias descrições da chegada dos primeiros exemplares da raça à Europa. A raça moderna foi fundada por “Wong Mau”, um Sagrado da Birmânia — levado para os EUA em 1930 — que foi cruzado com um Siamês. É provável que tenha havido importações posteriores da Birmânia. Mas o fato é que em 1936 a raça já se tornara suficientemente pura para ser reconhecida nos EUA. Na França, a raça foi oficialmente reconhecida em 1952. Os selecionadores franceses incluíram na descendência o sangue dos Siameses e dos Persas brancos, este último responsável pela pelagem macia e semilonga do Sagrado da Birmânia.

A história da raça, que divergiu durante a última metade da década de 1940, produziu dois tipos distintos de Sagrado da Birmânia: o gato inglês tem um porte mais oriental, e o americano é mais robusto.

Esta raça é famosa pelo seu caráter tranqüilo e, ao mesmo tempo, sociável. Gosta de brincar, é inteligente e alegre. O Sagrado da Birmânia geralmente elege como dono uma pessoa de temperamento calmo, parecido com o seu. Fiel, dedica-se totalmente a seu “escolhido” e fica com muitas saudades quando seu dono não está em casa. É conhecido também por seu miado doce.

Para que sua pelagem semilonga se mantenha sempre exuberante, o Sagrado da Birmânia precisa ser escovado e penteado regularmente.

Cores:

Não só o número de variantes do Sagrado da Birmânia diverge entre os dois lados do Atlântico, como o padrão britânico é diferente do americano. O Sagrado da Birmânia americano tem o corpo, a cabeça, os olhos e as patas mais arredondadas do que o gato inglês. As diversas variedades têm em comum uma importante particularidade: as quatro patas são cobertas por luvas completamente brancas.

Descrição Geral

O corpo é de tamanho médio, alongado, maciço, levado por pernas curtas e fortes. A cabeça é redonda, larga, de formato cuneiforme. O nariz é curto e bem pronunciado, e a cor da ponta deve condizer com a do manto. A pelagem do manto é muito lustrosa, curta e acetinada, muito bem distribuída no dorso e nos lados e levemente ondulada no ventre. O pêlo é mais curto no focinho, mas se adensa nas bochechas e possui uma textura que nunca deve parecer opaca ou áspera. A cauda, de comprimento médio, é robusta e rica em pêlos. Os olhos têm uma forma levemente oblíqua e de uma belíssima cor azul, intensa e brilhante, emanando um fascínio peculiar.

Siamês

O mais conhecido dos gatos de pêlo curto

Nacionalidade: Tailândia
Porte: Médio
Temperamento: Dependente
Tipo de Pêlo: Curto
Nível de Energia: Alto

Apesar das várias pesquisas realizadas na Tailândia e no resto da Indochina, não é possível identificar o felino do qual descende o Siamês. No entanto, sabe-se ao certo que sua origem é asiática. A Biblioteca Nacional de Bangoc (Tailândia) possui uma coletânea de manuscritos, o Cat Poems Book, onde antigas gravuras do século XIV mostram gatos do tipo Siamês, chamados vichien mas, os primeiros dos quais se tem notícia. Devido à pelagem tigrada destas figuras, característica dos felinos selvagens, acredita-se que a origem desta raça seja selvagem.

Algumas fontes narram que, em 1880, o rei do Sião - território que hoje é a Tailândia -, ofereceu dois casais de Siameses a Owen Gould, cônsul-geral inglês em Bangoc. Ele os levou para Londres e, em 1881, os gatos fizeram sua aparição oficial no Crystal Palace, com muito sucesso. Em 1890, os Siameses chegaram aos EUA, provavelmente também como presente do rei do Sião a um amigo norte-americano. Na época, os Siameses não eram tão elegantes como hoje, tinham o corpo mais cheio e a cabeça arredondada, mas possuíam um inegável fascínio oriental.

Os Siameses revelaram uma saúde bastante frágil. Na década de 1920, quando a raça esteve em voga, notou-se um enfraquecimento dos exemplares. Para atender aos pedidos incessantes, os criadores fomentaram a criação de um número excessivo de filhotes, realizando sucessivos cruzamentos consangüíneos. A raça pura esteve à beira da extinção. Este temor obrigou os criadores a selecionar os Siameses com mais cuidado. Foi assim que nasceu este gato elegante admirado no mundo todo.

Imponente, o Siamês é um gato famoso por seu temperamento impertinente, mas também pelo maravilhoso físico esbelto e seus olhos cor de safira. Não seria exagero dizer que ele é o gato mais soberano, o mais aristocrático representante das raças de pêlo curto, merecedor do apelido de "príncipe dos gatos".

Com reações imprevisíveis em alguns momentos, este felino pode mudar de humor de um dia para outro. Sua dedicação ao dono é tanta que chega até a ter ciúmes de outros “rivais”, mostrando até mesmo uma explícita indiferença aos outros membros da família. Quando chega o período do cio emite miados e uivos bastante incomuns, semelhantes ao de uma criança recém-nascida.

Por mais que viva com prazer em um apartamento, o Siamês gosta de liberdade. Tanto assim que, às vezes, para queimar sua energia, fica muito agitado, pulando de um móvel para outro, correndo por toda casa. O ideal é ter um jardim cercado, ou um espaço ao ar livre para que ele possa se movimentar.

Para manter sua beleza, é necessário fazer uma escovação diária, com escova média, a fim de tirar resíduos de poeira e pêlos mortos, bastante comuns no período da troca de pêlos.

O Siamês é uma das pouquíssimas raças que aceita a imposição da coleira e pode, dessa forma, ser levado para passear ou viajar tranqüilamente.

Cores:

A característica mais marcante do Siamês é o contraste da cor do manto com as zonas de coloração mais escuras, que cobrem as orelhas, máscara, pernas, pés e cauda. Estas zonas são chamadas de points (pontos em inglês).

Existem quatro variantes clássicas: o Seal-point, o Blue-point, o Chocolat-point e o Lilac-point. Além delas, os ingleses classificam também como variação do Siamês as cores a seguir: Tabby-point (sinais marmorizados); Tortie Tabby-point (sinais marmorizados e casco de tartaruga); Tortie point and cream (sinais de cascos de tartaruga e creme) e Red-point (sinais distintivos vermelhos).

As variantes mais recentes, desenvolvidas através do cruzamento de Siameses com outras raças, deu origem a uma outra raça que, segundo a principal associação dos EUA, recebeu o nome de Colourpoints de Pêlo Curto. A Grã-Bretanha não considera esta variação uma raça separada.

Descrição Geral

Todas as variações possuem a pelagem curta, aderente ao corpo, de textura fina, mas densa e brilhante. Com aspecto atlético, seu corpo é longilíneo, de porte médio, com membros posteriores longos e finos, levemente mais altos que os anteriores. Com pés pequenos e ovais, musculatura forte, este felino é capaz de movimentos elegantíssimos. O corpo dos Siameses deve ser completamente sem gordura.

O Siamês moderno deve ter a cabeça em forma de um triângulo perfeito, larga na altura dos olhos e menor na ponta, na direção do queixo, com contornos delicados.

Os olhos, oblíquos (em forma de amêndoas) inclinados em direção ao nariz, são sempre da cor de um azul intenso, profundo e brilhante. Uma lenda conta que o levíssimo estrabismo dos Siameses se deve ao fato de que lhes foi confiada a guarda de um vaso de grande valor em um Templo. Para cumprir bem sua tarefa, os gatos olhavam para o vaso tão fixamente, que seus olhos ficaram numa posição insólita.

A cauda do Siamês foi objeto de várias discussões. Há quem afirme que a cauda curta é um sinal de pureza asiática, e os que dizem tratar-se de uma degeneração. A descrição oficial das entidades dos EUA é: longa, fina, em forma de fuso, pontiaguda na extremidade. Segundo uma outra lenda, a curva da cauda é atribuída às princesas de Sião, que confiavam os próprios anéis aos gatos, colocando-os na cauda, que adquiriu a forma curva para evitar que as jóias caíssem.

ColourPoint Shorthai


O Siamês original era de cor ruiva, com points marron-foca no focinho, orelhas, membros e cauda. Em seguida, nos EUA, forma selecionados e reconhecidos oficialmente os Siameses com points chocolates, lilás e azul (ver Cores). Mas quando tentou se obter points de outras cores, cruzando-se Siamieses com Abssínio e outros gatos de pêlo curto, as entidades americanas acharam que os gatos deveriam ser considerados com raças à parte, uma vez que portavam genes não siameses. Foi assim que surgiu o Colourpoint Shorthair. Os ingleses, em vez disso, classificaram as novas cores entre as permitidas para o Siamês.

Estas novas cores estão descritas a seguir:

Red point: pelagem branca com points vermelho escuro.

Cream point: pelagem branca com points vermelho damasco.

Seal lyns point: pelagem ruiva com points marmorizados (tabby) de cor marron clara e escura.

Chocolat lynx point: pelagem marfim com points tabby de cor marron muito clara e de intensidade média.

Blue lynx point: pelagem branco-azulada com points tabby em tons contrastantes de cinza-rosado.

Lilac lynx point: pelagem branca com points tabby em tons contrastantes de cinza-rosado.

Seal Tortie point: pelagem ruiva com points de cor marfim salpicada de creme.

Blue cream point: pelagem branco-azulada com points cinza escuro salpicada de creme.

Lilac cream point: pelagem branca com points cinza rosada salpicada de creme.

Singapura

Um gato pequeno e encantador

Nacionalidade: Cingapura
Porte: Pequeno
Temperamento: Apegado
Tipo de Pêlo: Curto
Nível de Energia: Alto

Esta raça é originária de Cingapura, na Ásia, mas começou a ser desenvolvida por criadores de gatos a partir de 1975, quando um casal norte-americano levou para os Estados Unidos três exemplares encontrados nas ruas da ilha. A raça foi reconhecida como tal em 1982 pela Cat Fanciers Association e ainda hoje é considerada rara.

O Singapura é uma das menores raças de gatos. Gatos adultos pesam cerca de 3 kg. Com um corpo musculoso, é ágil na caça e aprecia brincadeiras.

Inteligente, o gato desta raça está sempre atento a tudo o que o cerca. Ele é apegado ao proprietário e sociável. As fêmeas são consideradas mães zelosas.

Com um porte pequeno, mas proporcional, o Singapura apresenta grandes olhos, que podem ser cor de avelã, verde ou amarela. A pelagem é de tamanho curto, com um tom de sépia.

Snowshoe


Apesar de muito parecido com os gatos “sialatas” encontrados por todo o Brasil, o snowshoe é uma raça reconhecida por várias entidades no mundo inteiro e com características bem particulares.

Os primeiros exemplares dessa raça surgiram na década de 60 quando a americana Dorothy Hinds-Daugherty, criadora de siameses na Filadélfia, notou que três filhotes de siameses tinham manchas brancas em suas patas. Iniciou-se então a criação de uma nova raça, introduzindo o American Shorthair (Pêlo Curto Americano) que deu maior robustez a esses gatos ponteados com características manchas brancas.

A ACA (American Cat Association) reconheceu a raça em 1974 mesma época em que a Cat Fanciers Federation (CFF) permitiu registros desses gatos na categoria de raça experimental. Mas, apenas após seu reconhecimento pela TICA na década de 80 a raça se tornou mais popular, apesar de ainda continuar a ser considerada uma raça rara no mundo todo.

Os gatos desta raça são bastante inteligentes, enérgicos e brincalhões. São bastante dependentes de seus donos de modo que não se recomenda que eles sejam deixados sozinhos em casa. Caso o dono tenha que se ausentar frequentemente uma boa solução é ter mais de um gatinho para que um faça companhia ao outro.

São também, como os siameses, bastante vocais, porém possuem um miado bastante melodioso.
Essa raça se adapta bem a outros gatos e a animais de outras espécies, inclusive cães. Também será um ótimo companheiro para crianças.

O Snowshoe é um musculoso gato de porte médio podendo, o macho, pesar até 5,4kg. Seus olhos, grandes e ovais, são sempre azuis.

Sua característica mais marcante é, sem dúvida, marcação de sua pelagem: ponteada com manchas brancas na face, no peito e na ponta das patas. Os filhotes nascem totalmente brancos e só com alguns dias ou mesmo semanas de vida a sua marcação aparece. O escurecimento da marcação continuará por toda a sua vida. Todas as cores permitidas para os siameses são aceitas. Assim é possível encontrar snowshoes com marcação a seal (marrom), azul, lilás, sphynx (tigrada), creme, red, canela, creme, tortie e chocolate, dentre outras.

Somali

Meu amigo americano

Nacionalidade: EUA
Porte: Médio
Temperamento: Meio-termo
Tipo de Pêlo: Semilongo
Nível de Energia: Alto


O Somali é um gato originário de uma variação do Abissínio. Em várias criações de Abissínio nasciam filhotes com os pêlos semi-longos, que eram descartados pelos criadores por estarem fora do padrão de criação da raça. Na década de 1960, uma criadora de Abissínios norte-americana chamada Evelyn Mague, ao receber um filhote de Abissínio com estas características decidiu pesquisar sobre a alteração de pêlo que tanto a fascinou. Desenvolveu um sério trabalho de pesquisa sobre a genética e a reprodução deste gatos. Selecionando exemplares em todos os Estados Unidos e no Canadá, ela conseguiu, em 1972, fundar o primeiro clube especializado da raça. Em 1978, o clube foi aceito pelas maiores entidades de criação dos EUA.

O Somali é uma das raças de gato mais ativas. É apreciador do contato humano, tornando-se um excelente companheiro de toda a família, pois não é um gato de um dono só. Adota várias pessoas na família, sendo afetuoso e brincalhão com todos. Curiosidade é o seu nome. Ele está sempre explorando o lugar à sua volta. Os gatos desta raça se mostram muito sociáveis com outros animais, como cães e pássaros. Extremamente resistente, o Somali não apresenta nenhuma doença característica da raça. Os cuidados com sua pelagem são a escovação regular, para retirar pêlos mortos e mantê-la sempre com brilho.

Descrição geral

A impressão geral do Somali ideal é de um gato médio, de aparência majestosa. O tipo é o pêlo curto foreign. Os machos são proporcionalmente maiores do que as fêmeas, sendo que estas têm ossatura mais delgada e são mais ativas. O Somali tem um desenvolvimento muscular bastante firme, com corpo flexível e sinuoso, assemelhando-se a uma pantera e demonstrando um vivo interesse pelo ambiente em que está. A pelagem possui características de iridescência, refletindo cores quentes, dando a impressão de um gato ricamente colorido. O padrão do manto é geneticamente uma forma de ticking agouti, com um ticado escuro e parelho, contrastando com bandas de cor mais claras e dando um aspecto translúcido. O Somali é um gato saudável e vigoroso, bem balanceado de físico e de temperamento, é afável e de fácil manuseio.

Sphynx

O gato sem pêlos

Nacionalidade: Canadá
Porte: Médio
Temperamento: Apegado
Tipo de Pêlo: Leve penugem
Nível de Energia: Baixo

Acredita-se que os gatos "sem pêlo" tenham a origem muito antiga, remontando a diferentes épocas e lugares. Mas sabe-se que o Sphynx tal como o conhecemos atualmente surgiu no Canadá, em 1966. Tudo começou quando Elizabeth, uma gata doméstica de pêlo curto, deu à luz Prune, um gatinho sem pêlos. Depois disso, registrou-se no Canadá e Estados Unidos o nascimento de outros gatos resultantes de mutações espontâneas como essa, que ainda são utilizados nos cruzamentos da raça.

No Brasil, o Sphynx ainda é pouco conhecido, sendo raros os exemplares da raça.

Um animal extremamente exótico, o Sphynx é conhecido por não apresentar pêlos. Na verdade, o Sphynx não chega a ser completamente um gato sem pêlo, o que se pode notar ao acariciá-lo: a textura de sua pele é semelhante à do veludo ou camurça.

Ao tocar o Sphynx, nota-se imediatamente sua temperatura corporal elevada em relação às outras raças, o que de certa forma compensa a falta de um manto mais abundante.

Inteligente e amigável, o Sphynx é afetuoso, adequando-se a qualquer tipo de família.

SRD (Vira-lata)

Amigo de todas as horas

Nacionalidade: Todos os continentes
Porte: Médio
Temperamento: Variável
Tipo de Pêlo: Todos
Nível de Energia: Médio


Fonte: PetSite , Petsecia

2 comentários:

GLEYCE disse...

adorei as raças mas eu ñ vi a raça exoticos que é o meu coloca p eu entender mais ele

Sou eu mesmo... disse...

Olá. Não encontrei o savannah (híbrido entre o serval africano e o gato doméstico).
Abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...